sexta-feira, 26 de outubro de 2012

No início

Eu já não sabia mais para onde correr, eles estavam por toda a parte e todos meus suprimentos já tinha
se esgotado.
Atravessei a rua o mais rápido que consegui, minha perna estava ferida e doía muito, me cortara em um pedaço de vidro enquanto fugia desses malditos comedores de cérebro.
Entrei em um pequeno bar para ver se encontrava alguma coisa que me pudesse ser útil e para minha surpresa não havia nenhum deles lá dentro. Caminhei até o balcão, estava uma enorme bagunça, todo sujo
de bebidas que provavelmente estavam sendo degustadas um pouco antes do ataque.
Comecei então minha busca por armas, munição e bebidas, afinal no caos em que o mundo se encontra,
só mesmo estando embriagado. Nem parece, mas fazem apenas dez horas desde o primeiro ataque, antes disso, tudo estava tranquilo, eu estava em casa com minha namorada....sinto tanto sua falta, estavamos tranquilos em casa quando do nada surge um forte barulho vindo da cozinha.Ela decide averiguar, embora eu tivesse certeza que era aquele gato pulguento aprontando mais uma das suas, ela não quis me ouvir, continuei sentado assistindo TV. Passado alguns minutos ouço ela gritar, dou um pulo do sofá e corro em
direção a cozinha e esse foi meu primeiro contato com esses vermes malditos. Lá estava ele, arrancando um pedaço do pescoço de Suzan, última coisa que ela disse antes de morrer foi meu nome ''Jhon''.
Fiquei descontrolado, peguei a primeira coisa que encontrei em minha frente, se não me engano era uma panela de pressão, e acertei em sua cabeça, ele caiu e eu continuei acertando-o, eu já sabia que se tratava de um zumbi, afinal no mundo em que viviamos esse era o assunto mais comum nos blogs e redes sociais e o
fato de saber o que era me deixou mais triste, pois já sabia o que teria que fazer com a Suzan.
Corri por muito quilômetros em busca de alguém que não quisesse devorar minha carne, mas foi uma busca inútil. Depois de tanto correr cheguei aqui nesse bar.
Estava com um pouco de sorte, pois encontrei uma arma e a mesma estava carregada, provavelmente o dono do estabelecimento nem teve tempo de pega-la. Ouço um barulho vindo da porta que ficava logo atrás de mim. Saquei a arma, embora evitaria atirar, eles poderiam me ouvir, abri a porta lentamente, vi uma silhueta passando, mas estava muito rápido para ser um maldito zumbi. Chamei por alguém e logo surgiu entre as caixas de bebida que se encontravam caídas uma figura feminina, ela estava assustada e segurava uma faca, fiquei feliz pois agora eu não era o único.

Nenhum comentário:

Postar um comentário